Vitória da categoria: PL 93/2017 é rejeitado na Assembleia

     

    A greve dos servidores do Judiciário conquistou nesta terça-feira (29) a derrota do PL 93/2017 na Assembleia Legislativa, a primeira grande vitória do movimento paredista que já dura 36 dias.

    Uma grande mobilização reuniu em Porto Alegre desde as primeiras horas da manhã mais de mil trabalhadores de várias comarcas do estado, que se concentraram em frente ao Tribunal de Justiça e, em seguida, saíram em caminhada para a Assembleia Legislativa. Na assembleia geral realizada em frente ao Palácio da Justiça, a categoria aprovou a continuidade da greve e uma assembleia para esta sexta-feira (1), na qual serão definidos os rumos do movimento.

    Com a confirmação da inclusão do PL 93/2017 na ordem do dia, os trabalhadores se organizaram para acompanhar a votação, lotando as galerias do plenário e o auditório Dante Barone. A greve dos servidores do Judiciário foi elogiada em falas de deputados de diversos partidos, que destacaram a força da mobilização da categoria e se posicionaram contra o projeto, principalmente pela intransigência do presidente do Tribunal e a falta de diálogo com os trabalhadores. Após três horas de discussão, o projeto foi rejeitado por 44 dos 46 parlamentares presentes. 

    A derrubada do projeto, que tinha a aprovação dada como certa pelo presidente do Tribunal, foi uma demonstração da força do movimento, na avaliação da direção do Sindjus/RS. “Essa conquista já representa um marco na história de lutas dos trabalhadores da Justiça gaúcha. Mostramos, após dois anos de arbitrariedades, que nossa união supera o autoritarismo desta Administração que se recusou a negociar conosco. Que esta vitória sirva de exemplo e combustível para as próximas lutas que teremos que travar”, concluiu o coordenador geral do sindicato, Fabiano Zalazar.