Categoria aprova plano de carreira em Assembleia Geral Extraordinária

Em Assembleia Geral Extraordinária virtual ocorrida nesta terça-feira (27), os servidores da Justiça aprovaram o anteprojeto de plano de carreira apresentado pelo Tribunal de Justiça com ampla maioria. Com mais de 1200 participantes, a AGE teve 1134 votos computados, dos quais 1054 foram favoráveis à proposta. 

A reunião, realizada por meio da plataforma Zoom Webinar, foi a primeira assembleia virtual da categoria. A AGE contou com a participação da direção sindical e representantes das entidades parceiras (ASJ, Abojeris, Fenajud e Assejurs), assessorias técnicas do Sindjus, e teve votação auditada pela empresa Pandora, que certificou a transparência e segurança digital do processo.  

No início da Assembleia, o coordenador-geral do Sindjus, Fabiano Zalazar, apresentou um breve panorama do processo de construção do plano. O dirigente reforçou o caráter democrático da trajetória pela qual se buscou formular uma alternativa à proposta inicial do Tribunal, por meio do amplo diálogo com a categoria em reuniões e seminários virtuais. Apesar de a proposta final da Comissão não contemplar todos os pontos defendidos pelas entidades, ressaltou, a articulação dos trabalhadores permitiu avançar em diversos tópicos.

Os representantes das assessorias do sindicato destacaram em suas falas a importância de aprovar a proposta, ainda que esta necessite de aperfeiçoamento e adequações, a fim de evitar perdas maiores para os trabalhadores com a iminente votação das ADIs 3538 e 5562, bem como a Reforma Administrativa. O secretário-geral do Sindjus, Valter Macedo, pontuou a dificuldade que a conjuntura impõe ao funcionalismo público, chamando a atenção dos participantes da AGE para a  necessidade de ser responsável e ter bom senso neste momento.

Foi oportunizado espaço de fala para 20 participantes, que manifestaram suas considerações sobre a votação da proposta. A maioria dos servidores apontou em suas manifestações a necessidade de aprovação, ainda que o anteprojeto não tenha alcançado a totalidade das reivindicações dos trabalhadores. Em seguida, foi iniciado o processo de votação, efetuado por meio de sistema específico para tal finalidade que garantiu a segurança dos votos. “A experiência de uma primeira Assembleia Virtual é um fato histórico para a categoria, traz desafios mas também poderá oportunizar cada vez mais a participação de todas e todos nas instâncias deliberativas do sindicato, assim como esta importante decisão sobre o PCCS”, avaliou o diretor de comunicação do Sindjus, Emanuel Dall’Bello.  

A proposta ainda precisa tramitar internamente no Tribunal de Justiça, passando pelas instâncias deliberativas do órgão, para então ser protocolada na Assembleia Legislativa.