Mais de 1500 trabalhadores realizam ato que marca 15º dia da greve do Judiciário

    Em assembleia geral, categoria deliberou pela continuação da greve

     

    Para marcar duas semanas da greve do Judiciário, servidores de comarcas de todo o estado realizaram nesta terça-feira (8) em Porto Alegre a maior mobilização do ano. Reunindo mais de 1500 pessoas ao longo do dia, as atividades contaram com o apoio de diversas entidades parceiras. No início da manhã, um ato conjunto com os trabalhadores do Ministério Público do RS realizado em frente à sede da instituição teve protesto contra as ADI’s impetradas pelos governos Rigotto e Sartori pela suspensão dos reajustes concedidos às categorias do funcionalismo público durante as gestões dos emedebistas.

    Em marcha, os manifestantes vestindo preto seguiram para o Tribunal de Justiça, munidos de panelas, apitos, megafones, tambores e vuvuzelas, para “fazer barulho contra a injustiça e ‘acordar’ o presidente do Tribunal”, como definiu o diretor secretário geral do Sindjus, Valter Macedo. Após o ato, realizaram uma caminhada que ocupou uma pista da Avenida Borges de Medeiros até a Assembleia Legislativa, para acompanhar a decisão das lideranças de bancadas sobre o PL 93/2017. A mobilização crescente dos trabalhadores em greve sensibilizou os deputados líderes, que novamente não deram acordo para que o projeto entrasse na ordem do dia da sessão plenária. 

    A assembleia geral realizada à tarde teve falas de trabalhadores de diversas comarcas do estado e manifestações de apoio do ex-deputado Pedro Ruas (PSOL), do deputado Jeferson Fernandes (PT), de representantes de entidades: Paulo Olympio (ASJ), Sirlan da Rosa Cruz (Abojeris) e Éverton Gimenez (Sindibancários). Os servidores  deliberaram sobre os próximos passos do movimento; foi aprovada por unanimidade a continuidade da greve e a realização, na próxima terça-feira (15), de ato pela manhã em frente ao Foro Central II, caminhada em direção à ALRS e assembleia geral à tarde na Praça da Matriz. Outra orientação que partiu da assembleia foi no sentido de buscar contato com desembargadores para articular apoio junto à Administração do Tribunal a fim de avançar na negociação sobre os pontos da pauta de reivindicações da categoria. O diretor de política e formação Sindical do Sindjus, pontuou a necessidade de ampliar a força da mobilização para os próximos dias para pressionar o Tribunal. “Estamos na semana da conciliação, campanha promovida pelo Tribunal de Justiça. É o que queremos para a categoria, por isso temos buscado o diálogo com a Administração do TJRS que até agora, não mostrou disposição para buscar esta que é a conciliação mais importante, com os próprios trabalhadores”.