É greve! Em assembleia geral, categoria delibera pela continuidade do movimento

    Servidores permanecem paralisados pela abertura de negociação sobre pauta reivindicatória

     

    Servidores da Justiça gaúcha permanecem em greve. Na assembleia geral realizada nesta sexta-feira (1º) com a participação de mais de 700 pessoas, a categoria votou pela continuidade do movimento paredista. Convidado para a abertura da assembleia, O ex-deputado e advogado trabalhista Pedro Ruas, destacou a força da luta dos trabalhadores, ressaltando a grande vitória conquistada na última terça-feira (29) na ALRS com a derrubada do PL 93/2017 como exemplo da importância da unidade da categoria. 

    Em seguida, os diretores do Sindjus, Valdir Bueira e Marco Velleda, fizeram um panorama dos acontecimentos e encaminhamentos do movimento paredista, desde o início das tentativas de negociação por parte do sindicato, enfatizando a intransigência do presidente do TJRS e a dificuldade de abertura de diálogo. Na sequência, foi aberto espaço de fala para a categoria. Servidores e servidoras de todo o estado manifestaram-se sobre a situação da paralisação em suas comarcas. 

    Na votação, a continuidade da greve foi decidida pela maioria dos participantes. A ideia é manter o movimento a fim de pressionar a presidência do TJRS para que avance na negociação sobre a pauta de reivindicações. Nova assembleia está definida para o dia 14 de novembro, data em que os servidores do Judiciário também devem participar das atividades convocadas por diversas categorias do funcionalismo público estadual contra as medidas do governo Leite.

    “Essa assembleia foi mais um momento emblemático de nossa greve e uma importante demonstração da força dos servidores da Justiça, que em meio a um cenário desfavorável, construíram um movimento já vitorioso e que reforça a unidade e a evolução da consciência democrática que fortalece nossa categoria”, destacou o diretor de política e formação sindical, Marco Velleda.