SindjusRS alerta: envio de mensagens ofensivas a deputados pode prejudicar trâmite do PL 218/2017 que trata da reposição

    Deputados que compõem a Comissão de Constituição de Justiça (CCJ), entre eles Gilmar Sossella (PDT), relator dos projetos de reposição salarial do TJ e do MP, Santini (PTB), relator do projeto de reposição do TCE e João Fischer (PP), relator do projeto de reposição da DPE, entraram em contato com a direção do SindjusRS para denunciar o recebimento de mensagens ofensivas.

    Os e-mail teriam partido de pessoas ligadas à categoria de servidores do Tribunal de Justiça. Imediatamente, os diretores Aguinaldo Martins, Flávio Ribeiro e Luís Gonzaga Crespo Magalhães Jr. dirigiram-se à Assembleia Legislativa e se encontraram com os deputados para restabelecer a boa relação já existente entre o SindjusRS e os parlamentares.

    Na oportunidade, eles afirmaram que, embora exista grande apreensão e angústia por conta dos projetos de lei de recomposição parcial de perdas inflacionárias, o SindjusRS, em nome dos mais de 12 mil trabalhadores que representa, reafirma o respeito que nutre pelo parlamento gaúcho, ressaltando que tampouco orientou a base da categoria para proceder de tal maneira.

    Os diretores do sindicato reiteraram aos deputados o pedido para que os projetos sejam votados na CCJ na próxima terça-feira, 17 de abril.
    Diante desse episódio, a direção do sindicato pede aos colegas que tenham confiança no trabalho empenhado junto à Assembleia Legislativa e que, quando encaminharem mensagens aos deputados, que o façam de forma respeitosa.
    – Qualquer um sabe, até as pedras da rua, que não é com ofensas ou acidez nas críticas que se resolvem as demandas. Ao contrário. Elas se tornam mais difíceis, sejam quais forem. Sabemos e sentimos na própria pele as dificuldades financeiras que a categoria vem enfrentando, todavia é necessária, nesse e em todos os momentos, uma sábia serenidade nas manifestações. Portanto, rogamos aos mais afoitos que examinem suas ações. Ou alguém receberia em sua casa, ou em seu local de trabalho, quem lhe foi desrespeitoso ou lhe dirigiu ofensas? A resposta é óbvia! – disse o coordenador geral do SindjusRS, Marco Weber.

     

    INFORMAÇÃO OFICIAL SINDJUSRS. NÃO CAIA EM BOATOS!