PL DO REAJUSTE ENTRA NA PAUTA

    O dia de lutas na Assembleia começou cedo, e com uma novidade preocupante. Na reunião das 9hs na CCJ, 8 deputados deram parecer favorável ao PL 93/2017, que extingue os cargos de Oficial Escrevente e de Arquivo. Quem comemorou foi um pequeno grupo de aprovados no mais recente concurso do TJRS, que ainda não foram efetivados no Poder Judiciário e que são favoráveis ao PL, pois com a extinção dos cargos, aumenta a possibilidade de que eles sejam chamados. Só que mais tarde, na reunião do colégio de líderes, não foi fechado acordo para que o projeto fosse votado no plenário, e ele ficou para ser apreciado em 2019. Nessa mesma reunião também não passou o PL da Automaticidade para os magistrados do TJRS. E no final da manhã a esperança dos servidores da justiça foi estimulada, quando veio a notícia de que, finalmente, os deputados concordaram que o PL do reajuste salarial entrasse na pauta nesta terça-feira. Pausa para o almoço coletivo promovido pelo SINDJUSRS na praça da Matriz, que alimentou em torno de duzentas pessoas. Além dos trabalhadores do judiciário, dezenas de moradores de rua que passavam pelo local também aproveitaram a refeição. O momento de descontração animado por um grupo de samba terminou no início da tarde. Na sequência, quem participou da mobilização teve que esperar na fila em torno de 1 hora pela abertura das portas de acesso ao Salão 20 de Setembro, suportando o forte calor. Depois, mais fila para a identificação e entrada no plenário da ALRS. Os servidores públicos não se abalaram, e tomaram todos os espaços. Pressionaram durante o tempo inteiro, marcaram presença e manifestaram suas posições. A pauta foi cumprida em 6 itens dos 14 previstos para votação. Quando chegou o momento de discutir o projeto de recomposição das perdas salariais, a base governista se retirou do plenário e o número de deputados presentes não foi suficiente para votação. Para a representante sindical Neli Pauletti, de Frederico Westphalen, foi muito boa a participação da categoria – “Eu tinha uma grande expectativa de que os deputados iriam aprovar hoje, mas confesso que fiquei frustrada. De qualquer maneira não perdemos a viagem porque a pressão foi feita e os deputados não deram acordo para os outros projetos que prejudicam nossos colegas”, disse. O Diretor de Política e Formação Sindical do Sindjus, Aguinaldo Martins, agradece a vinda dos colegas de várias regiões do estado, que deram respaldo as atividades – “A demonstração de força da categoria foi fundamental para o avanço na negociação com os deputados. Faremos uma nova peregrinação pelos gabinetes, e desde já, ficam convocados os servidores do judiciário para estarem conosco na nova trincheira de luta, na terça-feira, 18, para a aprovação da recomposição das perdas salariais”, conclui. O Coordenador Geral do Sindicato, Marco Weber, reforça o agradecimento e a conclamação da categoria – “Que se repita a dose e se possível até aumente a presença dos trabalhadores da justiça na ALRS, no próximo dia 18. Nós vamos ganhar, de qualquer jeito!”.