Fórum Social Mundial Justiça e Democracia se propõe a ser uma movimento permanente de mudanças no sistema de justiça

A delegação do Sindjus e da Fenajud participaram no sábado (30/4) do encerramento do Fórum Social Mundial Justiça e Democracia (FSMJD), apresentando encaminhamentos e resoluções dentro dos cinco eixos do FSMJD.

O Sindjus e a Fenajud levaram as propostas debatidas na atividade do dia 28 de abril, sobre a criação de uma grande articulação nacional que resulte na democratização do Judiciário e em mecanismos de controle social, como a criação de um Observatório Nacional do Sistema de Justiça. A proposta foi acolhida pelo plenário da Assembleia de Encerramento.  Nas próximas semanas, o Sindjus fará uma roda de conversa com os representantes do Sindicato no Fórum para discutir a participação nas atividades e debatermos sobre os encaminhamentos. 

Carta de Porto Alegre

A Carta de Porto Alegre, finalizada com as contribuições de centenas de entidades e organizações, aponta o FSMJD como um “movimento de luta para a transformação dos sistemas de justiça, assim como de reestruturação de instituições nele envolvidas e comprometidas com os valores da democracia, da dignidade e da justiça social”.

O documento aponta, ainda, a importância dos depoimentos e manifestações para mensurar a extensão dos danos para a democracia que um sistema de justiça corroído acarreta, desta forma os participantes de comprometem com “um movimento de mobilização permanente, de articulação e execução de ações concretas que transformem os sistemas de justiça, eliminando o caráter elitista, racista e patriarcal que historicamente foi tecendo a sua configuração”.

Leia a Carta de Porto Alegre do FSMJD:
Carta de Porto Alegre  – 2022