FALECIMENTO DE CLAUDIO MACHADO  – JUSTIÇA PERDE UM LUTADOR APAIXONADO

                A morte repentina do Oficial Escrevente Estenotipista Cláudio Fernandes Machado, ocorrida ontem, 25 de julho, por problemas cardíacos, provoca reflexão sobre a trajetória de um servidor que deixa o engajamento e comprometimento com as causas do judiciário como uma de suas principais virtudes. Claudio era uma pessoa atuante em seu meio, e muito querido entre os colegas da Justiça. Tinha 53 anos de idade e deixa dois filhos, um de 17 anos e outro de apenas 4 meses. Hipertenso, havia se afastado recentemente de algumas atividades para poder se dedicar mais aos filhos e a cuidar de sua saúde, conforme uma colega de trabalho. Foi Instrutor de Mediação e Conciliação do NUPEMEC – Núcleo Permanente de Métodos Consensuais e Solução de Conflitos do TJRS, e “um dos poucos profissionais do Brasil detentores do título de Mestre em Mediação, conquistado com a aprovação no curso de pós-graduação de uma universidade da Argentina”, conforme a mesma fonte.

    Nas mobilizações promovidas pelo SINDJUSRS costumava fazer questionamentos sempre pertinentes. “Perdemos um grande lutador das causas da categoria dos servidores da justiça. O Claudio estava sempre presente nos atos, manifestações, assembleias gerais, e demais atividades que envolviam o sindicato. Era um apaixonado pela política, área em que também tinha formação superior – Ciências Políticas”, destaca Marco Aurelio Weber,  Coordenador Geral do SINDJUSRS. Para Weber fica a lembrança de um colega que “se expressava muito bem, transmitia ideias claras, e era sem dúvida alguma um dos grandes esteios da nossa classe. Jovem ainda, lamentamos profundamente o seu desaparecimento.” O velório de Claudio Fernandes Machado acontece desde as 10hs da manhã desta quinta-feira, 26/07, na Capela 06 do cemitério da Santa Casa, em Porto Alegre. O sepultamento deve ocorrer hoje a partir das 16h30min. Nossos sentimentos aos colegas, familiares e amigos.