A MAIORIA DOS SERVIDORES ATIVOS QUER MOVIMENTO GREVISTA

    Os motivos, entre outros, são a não aprovação da reposição de 5,58% pela ALRS, o PL 93, que trata da extinção do Cargo de Oficial Escrevente, e a não equiparação do auxílio alimentação dos servidores com os magistrados. Além da enquete nas redes sociais, o SINDJUSRS fez contato por telefone com servidores ativos, filiados ou não ao sindicato, em mais de uma centena de comarcas do poder judiciário RS, para saber a opinião deles sobre a realização de Greve.
    O resultado foi que 58,33% dos entrevistados são favoráveis ao movimento grevista e 41,66% responderam que não participariam de uma greve. A maior preocupação dos entrevistados que são contra a paralisação é devido à segurança jurídica da greve, principalmente no que tange a eventual corte de ponto. Na Assembleia Geral da categoria, marcada para esta sexta-feira, 15, às 13h30min no Everest Hotel, os servidores do poder judiciário de todo o estado vão decidir sobre esse tema que está na ordem do dia. Outra deliberação será o mandado de segurança a ser impetrado contra o Presidente da ALRS para que seja votado PL 218/2017, que trata da recomposição de 5,58% referente ao período de abril a novembro de 2015. A pauta ainda inclui os Informes, a prestação de contas 2018, a previsão orçamentária 2019, a abertura do processo eleitoral, o Plano de Lutas 2019 – Campanha Salarial, a eleição dos Representantes de Núcleos, a chamada extra da FENAJUD e assuntos gerais.